sábado, 31 de outubro de 2009

O Contador de histórias e a árvore dos sapatos *


Era uma vez...
Na Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, o Grupo de Teatro da Oficina Literária Letras no Jardim, de Florianópolis, apresentou no auditório da Biblioteca Pública de Santa Catarina a peça

“O Contador de histórias e a árvore dos sapatos”.
O espetáculo está na segunda temporada. Atores presentes: Fernando, Márcia, Náiade, Julião, Amara, Leonardo e Milka. Teatro da UBRO 26 e 27 de setembro

Elenco talentoso.



Teatro e Biblioteca Pública: Binômio Cultural

Reunião de povos: árabes, germânicos, magos sem fronteiras, espanholas e chilenas
Um Turco, uma Dançarina Árabe e um Mago Contador de Histórias fazem parte do elenco.

Dança do ventre
"Livro do Destino" Uma mulher que só reclama (interpretada por Gabriela Muller) encontra uma Fada (Márcia Cattoi) que lhe concede fazer pedidos para mudar sua vida.

Saber pedir é ter sabedoria na arte de viver...
Três estudantes da UDESC prestigiaram e fizeram parte do espetáculo cultural.

* Espetáculo inspirado no conto africano "A árvore dos sapatos" de Mia Couto.









quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Semana Nacional do Livro e da Biblioteca - Eventos BP de SC

Celebrar o livro brasileiro é o objetivo da Semana Nacional do Livro e da Biblioteca.
A semana é realizada em todo o país entre os dias 23 e 29 de outubro, encerrando com o Dia Nacional do Livro.
Na programação da semana na Biblioteca Pública de Santa Catarina, participamos do lançamento do livro “Armadilhas do destino”, da escritora Therezinha Cacilda e da peça de teatro “O Contador de histórias e a árvore dos sapatos”, promovida pela Oficina Literária Letras no Jardim de Florianópolis.
Administradora da BPSC Élia Mara Brites, escritora Therezinha Cacilda e Maura Soares, que preside o Grupo de Poetas Livres de Florianópolis.

Poetas Livres, ALIFLOR, Oficina Literária Letras no Jardim, Produtores de Teatro, Jornalistas e editores marcaram presença.

Estagiário da Udesc Juan Pablo Di Martino. escritora Therezinha Cacilda, Rosalba de Paula, Assessoria de Extensão e Cultura da BPSC e Administradora Élia Mara Magalhães Brites.

Evento iluminado com poemas & músicas de violão.
Geraldo, ou Simplesmente Poeta e Marli, do Grupo dos Poetas Livres.

Janice Pavan, da ALIFLOR, recitou seus versos


Rosalba de Paula recitou poemas

Maura Soares, dos Poetas Livres, Adriano e Valdir Dutra, Produtores de Teatro em SC prestigiaram o evento

Therezinha Cacilda com seus netos, genro e filha, entre poetas. O neto David, de 8 anos, já leu mais livros que muita gente grande.

O Livro de Therezinha Cacilda está sendo adaptado para Roteiro Cinematográfico por escritores da Oficina Literária Letras no Jardim de Florianópolis. Bela história, Vale a leitura. Aguarde...






domingo, 25 de outubro de 2009

Arte como oportunidade de cidadania e inclusão social

Acredito estar nas Artes a grande oportunidade de transformação do ser humano, principalmente aos que moram nas periferias das capitais.
Música, dança, literatura, pintura, escultura, teatro e cinema, aliado ao esporte são os elementos indispensáveis para crianças e adolescentes como atividade complementar para uma boa formação de cidadania.
Já existem experiências modelos em Florianópolis, FUCAS no Morro da Caixa, Lar Fabiano e posso até citar um experiência pessoal lá no Monte Cristo onde ministrei aulas de Informática e Cidadania. Desde 2008 o projeto de Balé Clássico para crianças está em andamento, graças ao trabalho voluntário da Professora Amara Martino.

Tive uma grata surpresa na 8a SEPEX. Encontrei meus pequenos atores e atrizes de teatro, que participaram da peça "O Contador de histórias e a árvore dos sapatos", espetáculo apresentado no teatro da UBRO, nos dias 26 e 27 de setembro 2009.

- Olha o professor de teatro! - falou uma menina, apontando para mim. Fomos pra foto!
Ana Beatriz,Luiz Gustavo,Antonio Junior,Roberta e Danielle também fazem aulas de Balé lá no Morro da Mariquinha, onde residem.

Praticam cidadania através do PROJETO NÃO ME LIXO - RECICLO CONCEITOS, FAÇO ARTE, PROMOVO SAÚDE.

8.ª Sepex – Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFSC em Florianópolis

Aconteceu de 21 a 24 de outubro, em Florianópolis, a 8.ª Sepex – Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão, promovido pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Professora Doutora Angela Alvarez, Coordenadora do NETI e Marianinha, Presidenta da Associação dos Contadores de Histórias de Florianópolis - ACONTHIF

Otimização da Memória & jogos em Educação Permanente
No local reservado ao NETI, a alegria estava presente com muitas histórias, palestras, música .
Grupo de Convivência 5 de Maio cantou músicas do folclore açoriano, acompannhado pelo músico Gustavo, estudante da UFSC
Em 2009 participei jogando Dominó, numa abordagem dos benefícios de alguns Jogos na Educação permanente.
Dois estudantes do Curso de Economia chegaram, sentaram, e ganharam a partida de Dominó! Dominó não é um jogo de azar, pois depende de decisões racionais, memorização dos movimentos das pedras e jogadas anteriores. Da percepção dos sinais corporais dos jogadores ( o corpo fala e é o palco das emoções). Um ótimo exercício de ganhar e perder, como é na vida, acertamos e erramos. Aprendemos sempre... A Oficina foi realizada pelo Grupo de Estudos da Memória do NETI.

Professora Eloá Caliari Vahl, da UFSC/NETI, minha querida professora do Curso de Contador de Histórias e Marianinha da ACONTHIF.

A convite da Assistente Social Helena, Coordenadora do Grupo de Convivência "5 de Maio", fui o apresentador do grupo no evento musical. Gustavo tocou seu violão como um grande músico!

XVI ENCONTRO DE COMENS/COMADS/SC

Nos dias 19, 20 e 21 de outubro, ocorreu o XVI ENCONTRO DE COMENS/COMADS/SC no Hotel Praiatur, na Praia dos Ingleses em Florianópolis.


O encontro reuniu autoridades das áreas da Saúde e da Segurança Pública de Santa Catarina, além de psicólogos, médicos, sociólogos e assistentes sociais que trabalham no tratamento da doença Dependência Química em ONGs, e em Comunidades Terapêuticas.
Atendendo ao convite do Conselho Estadual de Entorpecentes - SC, eu estava lá, atualizando os meus conhecimentos.

Padre Luiz Prim com integrantes do CONEN SC

Há 7 anos sou voluntário de ONGs, trabalhando no programa Amor-Exigente, com jovens drogaditos. Aprendi muito com eles que têm grande sensibilidade em perceber o mundo. São hábeis na retórica, grandes atrizes e atores na arte de manipular.
Tudo em razão das drogas. Mas, quando se livram delas, seus talentos se revelam ao serviço comunitário.

"A pior de todas as drogas, é a nossa indiferença..."

“Tá ligado meu?”

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Onde estão as andorinhas?

Os mosquitos estão em festa. Já se adaptaram com os inseticidas.
É a tolerância. Um copo de vinho hoje, um pouco mais amanhã, até que saboreamos meia garrafa sem perceber. O organismo vai se adaptando...
Para os mosquitos, é hora das andorinhas, predadoras naturais dos "tocadores de violinos" no ouvido humano, de uma nota só, que perturba tanto o nosso sono.
Há dois anos eu caminhava pela praia de Jurerê e as buscava, nos fios dos postes. Lá estavam elas, as andorinhas, fazendo uma partitura musical na pauta dos fios de luz.
Mas, me pergunto agora: Onde estão as andorinhas?
E eu que reclamava, com os sons mágicos das canções avícolas, hoje sinto saudades.
Como disse Buda, o homem é incontentável, no verão prefere o inverno e no inverno prefere o verão.
Mudanças de época, ou é época de mudança?

A natureza está dando os seus recados....

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

AS LUAS DE GALILEU GALILEI - NA UFSC




O GPTN DA UFSC APRESENTA,




AS LUAS DE GALILEU GALILEI"









Texto de Carmen Fossari.

"O primeiro personagem que me tomou a emoção encontrei-o nas telas do cinema GIORDANO BRUNO, anos passados e a inquietante saga de GALILEU GAlILEI cujo destino em parte foi mais ameno que o primeiro,ambos vítimas de um olhar e ver o que os “véus” em nome da Fé impedem, em todos os tempos, todas as crenças sempre que a” uniteralidade “do pensamento é dogma e lei sob a força “estatal da religião”.Dito isto,importante lembrar que contraditoriamente, até seu último dia de vida GALILEU GALILEI foi um fervoroso homem temente a Deus, de profunda religiosidade e da sua fé nunca abdicou.


O GALILEU, deixou-nos um legado à ciência e ao ponto de vista humanitário seu gesto de ter abjurado, foi sem dúvida um ato de Inteligência, na medida em que seus escritos, comprova-o a história foram salvaguardados.
É com o olhar humano para um ser que no ano INTERNACIONAL DA ASTRONOMIA 2009 é celebrado no mundo como criador da CIÊNCIA MODERNA, que “convivemos “por dois anos e meio, intensos com GALILEU GALILEI, uma tarefa árdua para quem vinda do mundo das artes adentra ao universo da Ciência.


Saboroso desafio, compartilhado com o núcleo de atores e atrizes com quem realizamos os primeiros estudos entre 2007 e 2008: Ana, Ivâna, Lùcia,Mariana , Marcelo,Emanuela, Marcelinho e Márcio. Outros queridos estudiosos que ficaram ao meio do caminho. Durante a SEPEX/UFSC do ano de 2008, tive um encontro que foi determinante no desenvolvimento do processo,num STAND do PLANETÁRIO DA UFSC, conheci o Professor e Astrônomo Adolfo Stotz Neto, as primeiras frases dele e vislumbrei uma primeira cena de ‘nosso Galilei; paixão recíproca entre o Grupo e o Astrônomo ao tema “Galileano”.



O processo que resulta na encenação de AS LUAS DE GALILEU GALILEI, embora árduo e difícil, e talvez por este mesmo motivo, foi desafiante em cada fase: a concepção com a idéia de unir num mesmo espetáculo linguagens aparentemente dicotômicas: popular e erudita.


Como processar no espetáculo estas duas vertentes?A primeira linguagem seria a presença de uma Companhia Teatral (Metateatro) inspirada na Comédia Dell.


Arte, que coincide ter sido ao tempo em que Galileu foi professor na faculdade de Pádua, uma expressão teatral muito evidenciada naquela localidade Italiana.A segunda linguagem dita erudita, embora igualmente popular (não popularizada pela mass mídia) seria estabelecida através da música, convidamos a Maestrina do Coral da UFSC, Miriam Moritz, para nossa alegria imediatamente aceitou e dedicou-se com entusiasmo regendo o MADRIGAL DA UFSC(criado em 2009).


Alunos da Oficina Permanente de Teatro integraram o elenco neste ano, laboratórios teatrais no transcorrer do processo de montagem ocorreram em paralelo a escrita do texto,para terem uma idéia, por oito vezes ele , o texto, foi reescrito.


PEÇA: A Cia teatral BAMBOLINA ANDATINA através do METATEATRO encena episódios da Vida do Professor Galileu Galilei, em paralelo o Personagem Galileu Galilei vivencia fatos relevantes de sua vida, o homem que passou para a história como o cientista que abjurou diante Inquisição e cuja genialidade é um marco: Criador da Ciência MODERNA.

Uma encenação reunindo duas linguagens que confluem tal como as relações da ciência e da fé; instaura-se no espetáculo o popular (Comédia Dell Arte) e o erudito (Madrigal). A encenação inicia na rua, ao lado da Antiga Igreja da Trindade e passa para dentro da Igreja.

A cenografia pontua várias cenas ao meio do público. O texto dentro do preceito PÓS DRAMÁTICO resulta em um somatório de escritos ao entorno relevantes, a saber: Escritos de Galileu Galilei na Obra: MENSAGEIRO DAS ESTRELAS; Carta de Virginia, a filha freira e auxiliar de Galileu Galilei; um trecho de A PESTE de Albert Camus; cenas em livre adaptação da obra mais Aristotélica, de Bertolt Brecht (que escreveu três versões de sua obra GALILEU GALILEI);trechos do Processo Inquistório a que foi vítima Galileu Galilei e preciosas observações do Astrônomo Adolfo Stotz Neto.

Galileu, um ser humano que ousou olhar o nunca visto.Agradeço ao elenco e talentosa equipe técnica pela dedicação ao trabalho e em especial ao amigo e ator NEI PERIN,o “nosso Galileu”.E que AS LUAS DE GALILEU GALILEI, lhes proporcionem momentos especiais e lhes estimulem olharem aos céus .

E NO ENTANTO ELA SE MOVE(Galileu Galilei) AS LUAS DE GALILEU GALILEI Na igrejinha da UFSC: 16,17 E 18, 23 24 E 25 DE Outubro, 20h00min"

Dé Beirão, figurinista do espetáculo e conhecido carnavalesco de Santa Catarina, prepara "Kepler" para um dos ensaios.






"As luas de Galileu Galilei"

16,17 e18/23,24 e 25 de outubro,

na Igrejinha da UFSC.

20 horas, entrada franca

Convites: 37219348



IMPERDÍVEL!






quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Contar histórias é ensinar a vida! *

Minha homenagem ao Joaquin Herrera Flores, recentemente falecido na Espanha.











video

Homenagem também para as crianças.

"Viver com Arte é a arte da vida. E, uma vida vivida com arte não pode construir-se na e para a solidão.Vida com arte necessita do comum, do espaço do encontro, da interação e da convivência." Do livro "O nome do RISO - breve tratado sobre a arte e dignidade" editora Bernúncia, p. 35, de Joaquin Herrera Flores.
















Conheci o Professor e Doutor Joaquin Herrera Flores, da Universidad Pablo Olavide, Sevilha, Espanha, durante um encontro no CESUSC.

Jantamos juntos em Santo Antônio de Lisboa.

Conversamos sobre a Arte de Contar Histórias para ensinar com amor e respeito nossas crianças.

Aprendi muito com o seu saber. Ganhei um livro autografado.


* Joaquin Herrera Flores





terça-feira, 6 de outubro de 2009

Ensaio de teatro

Um bom ensaio de teatro ocorre quando a gente sente a força da juventude, sem importar a idade e nem o diagnóstico.
Num bom ensaio de teatro a gente esquece as dores e os desamores.
Há outros sinais também. Esses, que se manifestam após os ensaios: cansaço, fome e sono.
Nada que um bom travesseiro não resolva.
Tudo por Galileu Galilei e pela Arte!

domingo, 4 de outubro de 2009

Mercedes Sosa imortalizou Los Hermanos - Poema de Atahualpa Yupanqui

video
Yo tengo tantos hermanos
que no los puedo contar.
En el valle, la montaña,
en la pampa y en el mar.
Cada cual con sus trabajos,
con sus sueños, cada cual.
Con la esperanza adelante,
con los recuerdos detrás.
Yo tengo tantos hermanos
que no los puedo contar.
Gente de mano caliente
por eso de la amistad,
Con uno lloro, pa llorarlo,
con un rezo pa rezar.
Con un horizonte abierto
que siempre está más allá.
Y esa fuerza pa buscarlo
con tesón y voluntad.
Cuando parece más cerca
es cuando se aleja más.
Yo tengo tantos hermanos
que no los puedo contar.
Y así seguimos andando
curtidos de soledad.
Nos perdemos por el mundo,
nos volvemos a encontrar.
Y así nos reconocemos
por el lejano mirar,
por la copla que mordemos,
semilla de inmensidad.
Y así, seguimos andando
curtidos de soledad.
Y en nosotros nuestros muertos
pa que nadie quede atrás.
Yo tengo tantos hermanos
que no los puedo contar,
y una novia muy hermosa
que se llama
¡Libertad!

Mensagem para o dia de São Francisco de Assis, 04/10.

Eu, coçando a cabeça, e ela, se coçando e se lambendo.
Eu e minha CADELINHA, e repetindo dias e meses assim, e, quem não tem coceira (alergia), não pode imaginar atos inconscientes, ainda mais quando do outro. Darwin e Pavlov explicariam bem isso.
Os preconceitos estão por toda parte, na família, no condomínio, na rua, quarteirão e muito mais nas Igrejas. Pobre Jesus Cristo! Sempre leva a culpa. Cuidado com mediadores, manipuladores e outras dores...
Há um caminho seguro pra falar com Deus, aquele que escuta você, que não dá um discurso eloquente, que não julga, e nem se acha o proprietário da verdade.
Há sinais por todos os lados da maravilha de Deus, na natureza, nas estrelas, no sol que foi metaforizado como um Deus único nas religiões monoteístas.
Voltando para o assunto Rebeca, minha cachorra, cruza de Maltês com Poodle (vira-latas), ela estava sempre próxima, quase até pisava nela, distraído, quando abandonava meus escritos diante do computador, para tomar um ar e ver o mar.
Até que hoje, dia de São Francisco, de Assis, eu a acaricie enquanto ela se coçava.
Foi um momento de devolução de afetos. Muitas vezes as pessoas mais próximas de nós, que quase atrapalham o nosso caminhar, pedem carinho e atenção.
Seguindo a minha linha preferida da literatura “Aprendendo com os animais”, descobri que coçar alguém, dar carinho e atenção, acalma coceira até do coração.

sábado, 3 de outubro de 2009

ESCRITO POR REGINA BRETT, 90 ANOS...

Para celebrar o envelhecer, uma vez eu escrevi 45 lições que a vida me ensinou.. É a coluna mais requisitada que eu já escrevi. Meu taximetro chegou aos 90 em Agosto, então aqui está a coluna mais uma vez:
1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, apenas dê o próximo pequeno passo.
3 A vida é muito curta para perdermos tempo odiando alguém.
4. Seu trabalho não vai cuidar de você quando você adoecer. Seus amigos e seus pais vão. Mantenha contato.
5. Pague suas faturas de cartão de crédito todo mês.
6. Você não tem que vencer todo argumento. Concorde para discordar.
7. Chore com alguém. É mais curador do que chorar sozinho.
8. Está tudo bem em ficar confuso com Deus. Ele acolhe.
9. Poupe para aposentadoria começando com seu primeiro salário.
10. Quando se trata de chocolate, resistência é em vão.
11. Sele a paz com seu passado para que ele não estrague seu presente.
12. Está tudo bem em seus filhos te verem chorar.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem ideia do que se trata a jornada deles.
14. Se um relacionamento tem que ser um segredo, você não deveria estar nele.
15 Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não se preocupe, Deus nunca pisca.
16. Respire bem fundo. Isso acalma a mente.
17. Se desfaça de tudo que não é útil, bonito e prazeiroso.
18. O que não te mata, realmente te torna mais forte.
19. Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda só depende de você e mais ninguém.
20. Quando se trata de ir atrás do que você ama na vida, não aceite não como resposta.
21. Acenda velas, coloque os lençóis bonitos, use a lingerie elegante. Não guarde para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Se prepare bastante, depois deixe-se levar pela maré.
23. Seja excêntrico agora, não espere ficar velho para usar roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém é responsável pela sua felicidade além de você.
26. Encare cada "chamado desastre" com essas palavras: Em cinco anos, vai importar?
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo de todos.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo.
31. Indepedentemente se a situação é boa ou ruim, irá mudar.
32. Não se leve tão à sério. Ninguém mais leva...
33. Acredite em milagres, eles acontecem!
34. Deus te ama por causa de quem Deus é, não pelo o que vc fez ou deixou de fazer...
35. Não faça auditoria de sua vida. Apareça e faça o melhor dela agora..
36. Envelhecer é melhor do que a alternativa: morrer jovem.
37. Seus filhos só têm uma infância.
38. Tudo o que realmente importa no final é que você amou.
39. Vá para a rua todo dia. Milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se todos jogassemos nossos problemas em uma pilha e víssemos os de todo mundo, pegaríamos os nossos de volta.
41. Inveja é perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
42. O melhor está por vir.
43. Não importa como vc se sinta, levante, se vista e apareça.
44. Produza.
45. A vida não vem embrulhada em um laço, mas ainda é um presente!!!"

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

América do Sul comemora escolha do Rio para Olimpíada de 2016

Entre terremotos, ondas gigantes e chuvas, uma notícia que alegrou uma grande parte do mundo: Olimpíadas 2016.
Eduardo Galeano, um defensor da América Latina (AL) deve estar sorrindo, depois de chorar. O prazer e a alegria estão tão próximos que muitas vezes choramos de alegria e rimos de tristeza. Eu também senti as emoções de hoje, como cidadão da AL .

2009 - Ano Internacional da Astronomia - Teatro

AS LUAS DE GALILEU GALILEI
Na igrejinha da UFSC: 16,17 E 18, 23 24 E 25 DE Outubro, 20:00
uma encenação de Carmen Fossari
com NEI PERIN como GALILEU GALILEI
ELENCO:
Mariana Lapolli, Ivana Fossari,Bruno Lapolli,Marcelo Cidral, ,Marcelo Cipriani, Rhamsés Camisão, Ana Paula Lemos, , Lucia Amante, Emanuela Espíndola, Bruno Leite , Gabriel Orcajo, Juliana Rabello,Gabriel Ortega, AugustoSopran, Eliana Bär, Rúbia Medeiros, Luiza Souto, Jeanne Siqueira, Patrícia Medeiros e Julião Goulart.
PARTICIPAÇÃO DO MADRIGAL DA UFSC
DIREÇÃO MUSICAL E REGÊNCIA DO MADRIGAL : MIRIAM MORITZ
ASSESSORIA : ASTRONOMO ADOLFO STOTZ-
FIGURINO: JOSÉ ALFREDO BEIRÃO
CENÁRIO: MÁRCIO TESSMANN
ILUMINAÇÃO:IVO GODOI E CALU
TÉCNICO LUZ: NILSON SO
CARTAZ: MICHELE MILLIS
PROGRAMA: BRUNO LEITE
PRODUÇÃO: GRUPO PESQUISA TEATRO NOVO -UFSC
PROMOÇÃO: DAC-SECARTE-UFSC
ENTRADA FRANCA –CONVITES NO DAC - 37219348
A Cia teatral BAMBOLINA ANDATINA através do METATEATRO encena episódios da Vida do Professor Galieleu Galilei, em paralelo o Personagem Galileu Galiei vivencia fatos relevantes de sua vida, como cientista, o homem que passou para a história como o cientista que abjurou diante Inquisição , cuja genialidade é marco como o Criador da Ciência MODERNA.
Uma encenação reunindo duas linguagens que conflui tal como as relações da ciência e da fé.
No espetáculo instaura-se o popular ( Comédia Dell Arte) e o sacro (Madrigal).
A encenação inicia na rua, ao lado da Antiga Igreja da Trindade e passa para dentro da Igreja.
A cenografia pontua várias cenas ao meio do público. O texto, dentro dos preceitos PÓS DRAMÁTICOS, resulta em um somatório de escritos ao entorno de temas relevantes, a saber: Escritos de Galileu Galilei na Obra :MENSAGEIRO DAS ESTRELAS, carta Virginia, a filha Freira e auxiliar de Galileu Galilei,um trecho de A PESTE, de Albert Camus, cenas em livre adaptação da obra mais Aristotélica, de Bertolt Brecht ( que escreveu três versões de sua obra GALILEU GALILEI).
Preciosas observações do Astrônomo Adolfo Stotz Neto motivaram o tratamento deste “nosso” Galileu, um ser humano que ousou olhar o nunca olhado... Imperdível!

Bruxas ou Fadas? E a responsabilidade da escolha. *

“Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar, para atravessar o rio da vida. Ninguém, exceto tu, só tu. Existem, por certo, atalhos sem números, e pontes, e semideuses que se oferecerão para levar-te além do rio; mas isso te custaria a tua própria pessoa; tu te hipotecarias e te perderias.
Existe no mundo um único caminho por onde só tu podes passar. Onde leva?
Não perguntes, segue-o...”. Nietzsche - Filósofo alemão

Crescemos ouvindo histórias de bruxas e fadas.
É claro que as fadas estavam sempre associadas aos adjetivos mais doces e positivos: boazinha, madrinha, encantada e com capacidade de resolver por nós, até os mais difíceis problemas.
Mas, parando pra pensar, será que isso é bom?
Agora vejamos as bruxas, aquelas figuras más, que não ajudavam em nada, não faziam os nossos trabalhos quando estávamos sobre carregados - destas - queríamos distância!
Assim, sem que tivéssemos consciência, fomos nos acostumando à ajuda de alguém que sempre assumia o papel de fada em nossa vida.
Com o passar do tempo, acabamos nos habituando a ter sempre auxílio para a realização das nossas coisas pessoais. Pessoas para nos ajudar a atravessar pontes, rios e até na resolução dos pequenos problemas na dinâmica saudável da vida.
Problemas, todos os têm, exceto aqueles que estão “deitados” no cemitério. Ali, é o verdadeiro jardim da paz. Está tudo resolvido!
A segurança e o conforto, ou quem sabe o costume com as mordomias, vão, aos poucos, se enraizando no nosso íntimo, fazendo com que acabemos dependentes de uma pessoa para fazer por nós aquilo que poderíamos fazer sozinhas.
Sabemos que o tempo sedimenta comportamentos que, com a velhice, se acentuam.
Temos então um paradoxo: o máximo de segurança, talvez seja a escravidão da dependência, a falta de autonomia, de não poder decidir aonde ir, de não poder errar sozinha ou sozinho, conhecer novos lugares, viajar sem a companhia de uma pessoa fazendo o papel de fada-faz-tudo.
É claro que liberdade tem riscos, mas também tem descobertas pessoais encantadoras.
O autoconhecimento, a descoberta dos próprios limites, a capacidade de gerenciar decisões importantes, de ter o domínio dos instrumentos do seu saber como meio e finalidade de vida, sem falar da maravilha de desfrutar o direito de ir e vir com responsabilidade.
Existem frutos deliciosos que somente serão saboreados por quem se aventurou no fazer e agir focado na otimização de sua competência pessoal.
É partindo de si mesmo, da capacidade de autonomia, discernimento e responsabilidade, que o ser humano estará à altura de cumprir seu destino importante dentro da comunidade onde se encontra inserido: ser, agir e interagir para construir uma sociedade mais justa, próspera e feliz.
Somos seres comunitários e precisamos desenvolver em nós, a compreensão do outro e a percepção da necessidade de cooperação e a realização de projetos comuns.
Frequentemente, e por ser mais fácil seguir a lei do menor esforço, nos acostumamos a viver dependentes das fadas e a não conviver com as bruxas, que simbolicamente, se apresentam nas dificuldades do cotidiano, ou sob outras várias formas de desafios. Preferimos a paz da acomodação em vez da angústia da busca e do esforço exigido na solução dos problemas.
É provável que tenhamos que pagar um pedágio pesado por isto: a imobilidade da omissão, o desacostumar-se de ficar só, é abrir mão da autonomia.
Quem, desde jovem, se acostumou com o convívio das fadas, certamente terá mais dificuldades para se adaptar na terceira idade, época de novos desafios e eventuais afastamento de pessoas da família.
Por outro lado, aquela que encontrou bruxas em sua vida, que teve que aprender a se virar sozinha, muitas vezes “na marra”, aos “trancos e barrancos”, esta, acumulou experiências e valorizou seu tempo, mesmo tendo percorrido caminhos com o sentimento da angústia e da incerteza de quem segue sempre adiante, acreditando num futuro melhor.
Quem sabe as bruxas não sejam tão más, como nos fizeram acreditar?
Aquela que aprender a tirar proveito das bruxas, estará mais preparada para fazer descobertas importantes sobre a arte de viver em liberdade e de conquistar uma entrada vitoriosa e lúcida na bela Casa do Saber Gerontológico.
Aliás, a palavra bruxa, em sânscrito, a língua sagrada mais antiga do hinduismo, significa “sabedoria feminina”.
Fica aqui uma pergunta:
E você, prefere as bruxas ou as fadas?
* Premiado (segundo lugar) Concurso na UFSC/NETI - 2007 - Autoria de Julião Goulart