Pular para o conteúdo principal

AS LUAS DE GALILEU GALILEI - NA UFSC




O GPTN DA UFSC APRESENTA,




AS LUAS DE GALILEU GALILEI"









Texto de Carmen Fossari.

"O primeiro personagem que me tomou a emoção encontrei-o nas telas do cinema GIORDANO BRUNO, anos passados e a inquietante saga de GALILEU GAlILEI cujo destino em parte foi mais ameno que o primeiro,ambos vítimas de um olhar e ver o que os “véus” em nome da Fé impedem, em todos os tempos, todas as crenças sempre que a” uniteralidade “do pensamento é dogma e lei sob a força “estatal da religião”.Dito isto,importante lembrar que contraditoriamente, até seu último dia de vida GALILEU GALILEI foi um fervoroso homem temente a Deus, de profunda religiosidade e da sua fé nunca abdicou.


O GALILEU, deixou-nos um legado à ciência e ao ponto de vista humanitário seu gesto de ter abjurado, foi sem dúvida um ato de Inteligência, na medida em que seus escritos, comprova-o a história foram salvaguardados.
É com o olhar humano para um ser que no ano INTERNACIONAL DA ASTRONOMIA 2009 é celebrado no mundo como criador da CIÊNCIA MODERNA, que “convivemos “por dois anos e meio, intensos com GALILEU GALILEI, uma tarefa árdua para quem vinda do mundo das artes adentra ao universo da Ciência.


Saboroso desafio, compartilhado com o núcleo de atores e atrizes com quem realizamos os primeiros estudos entre 2007 e 2008: Ana, Ivâna, Lùcia,Mariana , Marcelo,Emanuela, Marcelinho e Márcio. Outros queridos estudiosos que ficaram ao meio do caminho. Durante a SEPEX/UFSC do ano de 2008, tive um encontro que foi determinante no desenvolvimento do processo,num STAND do PLANETÁRIO DA UFSC, conheci o Professor e Astrônomo Adolfo Stotz Neto, as primeiras frases dele e vislumbrei uma primeira cena de ‘nosso Galilei; paixão recíproca entre o Grupo e o Astrônomo ao tema “Galileano”.



O processo que resulta na encenação de AS LUAS DE GALILEU GALILEI, embora árduo e difícil, e talvez por este mesmo motivo, foi desafiante em cada fase: a concepção com a idéia de unir num mesmo espetáculo linguagens aparentemente dicotômicas: popular e erudita.


Como processar no espetáculo estas duas vertentes?A primeira linguagem seria a presença de uma Companhia Teatral (Metateatro) inspirada na Comédia Dell.


Arte, que coincide ter sido ao tempo em que Galileu foi professor na faculdade de Pádua, uma expressão teatral muito evidenciada naquela localidade Italiana.A segunda linguagem dita erudita, embora igualmente popular (não popularizada pela mass mídia) seria estabelecida através da música, convidamos a Maestrina do Coral da UFSC, Miriam Moritz, para nossa alegria imediatamente aceitou e dedicou-se com entusiasmo regendo o MADRIGAL DA UFSC(criado em 2009).


Alunos da Oficina Permanente de Teatro integraram o elenco neste ano, laboratórios teatrais no transcorrer do processo de montagem ocorreram em paralelo a escrita do texto,para terem uma idéia, por oito vezes ele , o texto, foi reescrito.


PEÇA: A Cia teatral BAMBOLINA ANDATINA através do METATEATRO encena episódios da Vida do Professor Galileu Galilei, em paralelo o Personagem Galileu Galilei vivencia fatos relevantes de sua vida, o homem que passou para a história como o cientista que abjurou diante Inquisição e cuja genialidade é um marco: Criador da Ciência MODERNA.

Uma encenação reunindo duas linguagens que confluem tal como as relações da ciência e da fé; instaura-se no espetáculo o popular (Comédia Dell Arte) e o erudito (Madrigal). A encenação inicia na rua, ao lado da Antiga Igreja da Trindade e passa para dentro da Igreja.

A cenografia pontua várias cenas ao meio do público. O texto dentro do preceito PÓS DRAMÁTICO resulta em um somatório de escritos ao entorno relevantes, a saber: Escritos de Galileu Galilei na Obra: MENSAGEIRO DAS ESTRELAS; Carta de Virginia, a filha freira e auxiliar de Galileu Galilei; um trecho de A PESTE de Albert Camus; cenas em livre adaptação da obra mais Aristotélica, de Bertolt Brecht (que escreveu três versões de sua obra GALILEU GALILEI);trechos do Processo Inquistório a que foi vítima Galileu Galilei e preciosas observações do Astrônomo Adolfo Stotz Neto.

Galileu, um ser humano que ousou olhar o nunca visto.Agradeço ao elenco e talentosa equipe técnica pela dedicação ao trabalho e em especial ao amigo e ator NEI PERIN,o “nosso Galileu”.E que AS LUAS DE GALILEU GALILEI, lhes proporcionem momentos especiais e lhes estimulem olharem aos céus .

E NO ENTANTO ELA SE MOVE(Galileu Galilei) AS LUAS DE GALILEU GALILEI Na igrejinha da UFSC: 16,17 E 18, 23 24 E 25 DE Outubro, 20h00min"

Dé Beirão, figurinista do espetáculo e conhecido carnavalesco de Santa Catarina, prepara "Kepler" para um dos ensaios.






"As luas de Galileu Galilei"

16,17 e18/23,24 e 25 de outubro,

na Igrejinha da UFSC.

20 horas, entrada franca

Convites: 37219348



IMPERDÍVEL!






Comentários

  1. Olá, sou aluna do ensino médio e termos que dramatizar a vida de Galileu Galilei, mas não encontramos o texto para fazer. Seria possível vocês publicarem o texto que utilizam ?

    Obbrigada, Marieli

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A árvore dos sapatos *

 A árvore dos sapatos
(Do livro Contador de História, Julião Goulart, Editora UFSC 2009, p.22)  História de Mia Couto que transformei em roteiro para  teatro  " O contador de histórias e a árvore dos sapatos" ,  peça que foi encenada em três temporadas, 2009,2010 e 2011, nos teatros da UBRO, UFSC, UDESC e TAC, recontada abaixo:
"Muito longe daqui, no Sul da África, não muito tempo atrás, vivia uma tribo que não usava sapatos. Pra quê sapatos? Se a areia era macia, a grama também. Mas às vezes as pessoas tinham que ir à cidade. Para resolver um assunto, um negócio de cartório, hospital, ou receber dinheiro ou até mesmo ir a uma festa. Aí eles precisavam de sapatos, e era um tal de pedir emprestado, que nunca dava certo. Foi aí que o velho mais velho da vila que, como tantas vezes acontece, era também o mais sábioresolveu o problema. Ele abriu uma tenda de aluguel de sapatos bem na entrada da vila. Instalou-se à sombra de uma grande árvore, e em seus galhos pendurou todo tipo d…

O homem que procurava a mulher perfeita para casar.

Era uma vez... O homem que procurava a mulher perfeita para casar.
Um homem solteiro, já de idade avançada, contava a um amigo a sua busca de uma mulher perfeita para casar. O amigo perguntou: - Então, você nunca pensou em casamento? - Já pensei. Em minha juventude, resolvi procurar e conhecer a mulher perfeita. Atravessei o deserto, nas minhas buscas, até que cheguei em Damasco e conheci uma mulher espiritualizada e lindíssima, mas ela não tinha os “pés no chão” pois nada sabia das coisas do mundo. Continuei a viagem, e fui a Isfahan; lá encontrei uma mulher que conhecia o reino da matéria e do espírito, mas não era uma moça bonita. Então resolvi ir até o Cairo, lá no Egito, onde jantei na casa de uma moça muito bonita, religiosa e conhecedora da realidade material. Era a mulher perfeita! - E por que você não casou com ela? – perguntou seu amigo. Ah, meu companheiro! Infelizmente ela também procurava um homem perfeito. (Extraído do meu livro Contador de História, p. 30 UFSC - 2008)