domingo, 17 de maio de 2009

Santa Catarina - Poema e música de Julião Goulart


Depois de fazer um poema, homenageando Santa Catarina, um dos 27 Estados deste imenso e maravilhoso Brasil, resolvi compor uma música que, a exemplo da matemática, do sorriso e do amor, se apresentam como linguagem universal, de paz e entendimento.


E, quem canta, seus males espanta! Cantei a alegria de viver no lançamento de um dos meus livros. Veja e ouça.


video

II Feira Catarinense do Livro 2009 - Florianópolis -SC




Escritor e Contador de Histórias Julião Goulart no palco da II Feira Catarinense do Livro - Florianópolis -SC, contando histórias para as crianças. Também recitou poemas de Fernando Pessoa e Mário Quintana.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

A tartaruga que queria conhecer seus pais.*








As tartarugas nascem dos ovos postos pelas fêmeas em buracos cavados na areia da praia. E, a exemplo dos insetos, elas não conhecem seus pais.

Logo que os ovos eclodem, e as tartaruguinhas nascem, começa a grande corrida em direção ao mar. É uma corrida pela própria vida, pois existem muitos perigos que elas precisam enfrentar até chegarem na água do mar, onde poderão se desenvolver.

As tartarugas não têm tempo de conhecer seus pais. E os pais, também não conhecem seus filhos.

Mas..., Num certo dia muito especial, uma tartaruguinha resolveu procurar seus pais.

A tartaruguinha, chamada Filó, saiu pelo mundo em busca de seus pais.
O grande sonho de Filó era conhecer seus pais. Entrou no bosque e encontrou um coelho.
- Olá seu coelho, meu nome é Filó e estou à procura de meus pais.
- Procure seus pais no mar e não aqui no bosque. - Disse o coelho amigo.
- Obrigado senhor. – Falou a pequena tartaruga e já se dirigindo ao mar.
Após uma longa jornada, Filó avistou uma tartaruga e foi logo perguntando:
- Você me conhece?
- É claro, você é uma tartaruga.
- Meu nome é Filó e estou à procura de meus pais. Como posso encontra-los?
- Mas você não sabe que as tartarugas não conhecem seus pais?
- Mas eu quero conhecer os meus pais.
- Impossível! Botamos tantos ovos que não daria para cuidar individualmente dos filhotes como fazem os humanos. Por que você quer conhecer seus pais?
- Para conversar com eles, perguntar sobre meus avos e tudo o mais...Por acaso não me é permitido fazer isto?
- Ouvi falar que existe uma tartaruga muito velha e sábia que mora no mar Adriático e que pode saber as respostas para as suas perguntas.
Depois de andar nos sete mares, Filó finalmente chegou ao seu destino. Quando estava diante da mais sábia das tartarugas.
– Quero conhecer meus pais...:

- Filó, Você já viveu 150 anos sem conhecer os seus pais. Contente-se em estar viva e poder viver as maravilhas da natureza. Curta a sua liberdade e seus instintos e leve de consolo que o nosso pai é Deus e a mãe, é a natureza.

Você pode pensar que já tem uma família, com tantos irmãos, que já nem os pode contar e mais, que todos os seres vivos que habitam a terra ou as águas do mar são seus irmãos.Cuide bem da natureza e viva feliz.
- Entendi! Somos família quando praticamos o amor fraternal e compreendemos os sentimentos dos outros. – Respondeu Filó.

E logo cada tartaruga seguiu seu caminho...

Muitos meninos e meninas órfãos são como as tartarugas. Não tiveram a oportunidade de conhecer seus pais. Mas a natureza compensa estas carências e ensina os órfãos a conviver fraternalmente. Sempre aparece alguém que assume o papel de amar e o mar é imenso para todos.
Pior é ser órfão de pais vivos e ainda morando na mesma casa.

Durante a contação da história, já no final, uma voz adulta e feminina, vinda lá do fundo da sala gritou:
- Dependendo do pai... É melhor que a filha nem o conheça...
Houve um longo silêncio de reflexão...

* História que escrevi especialmente quando fui contar histórias para uma comunidade carente e com crianças órfãos, na periferia de Florianópolis.
Diz, na Bíblia, que a beleza de um homem é a sua bondade. Existem muitas formas de ser belo mas, a primeira, de todas, é respeitar a dignidade e pureza das crianças.
Denuncie maus tratos, abusos psicológicos ou físicos.