domingo, 8 de junho de 2014

Quando reclamamos, perdemos a oportunidade de ouvir...


 Lucimar* era uma pessoa que sempre carregava seu guarda-chuva e demais apetrechos de proteção de chuvas. Estranhamente, por onde andasse, havia raios e trovoadas.

Lucimar era uma pessoa que os amigos gostavam de ouvir mas, onde estivesse, a chuva também se fazia presente e alguns amigos, por essa razão se afastavam.

Um amigo mandou Lucimar consultar a meteorologia antes de sair de casa. Outro que se mudasse para um lugar com estiagem prolongada para tomar um pouco de sol. Nada alcançava o resultado, até que um dia, Lucimar encontrou um velho andarilho que lhe falou, olhando nos olhos:

- Por favor, fique longe de mim!


- Não estou lhe entendendo, o senhor pode me explicar por que? - Perguntou  Lucimar.

- É que percebi  que onde você anda há chuvas e trovoadas. Você carrega uma nuvem de chuva é tempestade sobre a cabeça!...

Lucimar parou, olhou-se, olhou para o outro, e, num lance de descoberta pessoal, sentiu o sol bater na sua face.

Desde aquele dia Lucimar voltou-se para olhar a beleza da vida, na chuva, no sol, nas pessoas.

E cambiou seu comportamento de falante, para ouvinte...

 

* Nome comum a homens e mulheres...

(Historinha que criei ao ouvir a chuva bater na minha janela)

Nenhum comentário:

Postar um comentário