sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Poesia

Um livro inesquecível.

Alguns versos:
"Ó grande mar atlântico, desculpa!
Cuspi à tua beira três sonetos.
Sim, mas cuspi-os sobre a minha culpa." (p. 41)

" Como todos não creio no que creio.
Talvez possa morrer por esse ideal.
Mas, enquanto não morro, falo e leio" (p.76)

" Há saudades nas pernas e nos braços." (p.401)





O poema de Fernando Pessoa que eu  mais recito na Rádio Cultura diz assim:

" Mandei fazer um relógio,
das patas de um caranguejo,
só para marcar as horas,
e os minutos que eu não te vejo"

Nenhum comentário:

Postar um comentário