sexta-feira, 9 de novembro de 2012

O prazer e a alegria de um artista

Qual é o maior prazer de um artista?
Hoje, quando estava distribuindo folders de divulgação da peça Hamlet, que será encenada nos dias 13 e 14 de novembro, no teatro Pedro Ivo em Florianópolis, pensei com meus botões:
- Eu só queria escreve
r roteiros...
Mas, para escrever, quis saber mais sobre dramaturgia. Fiz cursos de iluminação em Universidades, oficina de roteiros com Tabajara Ruas, de teatro, GPTN na UFSC, Método Klauss Vianna, Cursos de Edição de Vídeo na UDESC. Curso de Operador de Áudio para Cinema,Técnica Vocal, coreografia oriental e muitos outros. Tudo para escrever roteiros com consciência de cada detalhe que ocorre por trás das câmeras ou das coxias.
Conheci o lado oculto das coxias, fui além do arco do proscênio, caminhei por túneis sob o palco ( como no TAC) entrei e saí de alçapões no palco, fui bilheteiro, porteiro, cenógrafo, narrador, ator e diretor de teatro e cinema. Viajei para fora do Brasil para participar de Festivais Internacionais.
Só hoje descobri que em cada atividade, há uma mística e que o prazer anímico da arte está no processo e na preparação para um grande espetáculo. Seja distribuindo panfletos ou atuando no palco diante do público.
Aprendi que construir e desconstruir cenários faz parte da vida não só do ator, que é
  comum do cotidiano de todos nós. Que as tragédias relatadas por Shakespeare, através do personagem Hamlet, estão presentes  em qualquer tempo ou geografia.

Distribuir panfletinhos para divulgar Hamlet talvez tenha sido o maior prazer ao olhar nos olhos das pessoas e contar um pouco da trágica história de Hamlet o príncipe da Dinamarca, que será encenada de forma inédita no Brasil, sob a direção de Carmen 

Nenhum comentário:

Postar um comentário