terça-feira, 25 de setembro de 2012

Histórias de teatro


Era uma vez... Um fabricante de sapatos que não gostava de teatro. Ele jamais havia entrado num recinto teatral, muito menos num camarim.
Como de costume, sempre que estava na cidade pela primeira vez, foi andar para apreciar o lugar. Ao passar diante de um teatro, viu a fila de pessoas alegres para comprar ingressos.
O homem adorava fazer observações profissionais e ali estava  uma oportunidade de ver diversos modelos de  sapatos. A fila andava, ele olhando para baixo para ver os sapatos dos outros  nem percebeu que já estava diante da bilheteria. Era a sua vez de comprar ingresso.
Depois de comprar ingresso, o homem,   seguindo o fluxo da fila, entrou no teatro.
Quando começou o espetáculo, uma bailarina pisou docemente no palco, fez  evoluções e passos de danças com uma coreografia sublime e impecável, embalada por uma música divina.
 O homem fixou sempre o olhar nas sapatilhas da bailarina. Pareciam leves, assumiam posições elegantes e tocavam o chão com graça.
Ao final do espetáculo, enquanto o público  deixava o teatro, o curioso decidiu ir além do proscênio  e das coxias para conhecer o outro lado do palco.
Foi lá, num  canto escuro e silencioso, sobre o piso de madeira, que o homem encontrou  um par de sapatilhas, sem graça, retorcidas e dobradas pela ação dos elásticos. E, com uma das sapatilhas na mão, o homem começou a pensar na beleza e no balançar harmônico ritmado da bailarina.
Na saída do teatro  o homem, cheio de entusiasmo, perguntou para o encarregado da portaria:
- Quando haverá um novo espetáculo? 
- Hoje foi o último espetáculo desta temporada, - respondeu o porteiro... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário