domingo, 2 de outubro de 2011

Quebra-cabeça


   Quebra - cabeça        ©Julião Goulart


Há momentos que me procuro
Mas não me encontro em mim
Meus pedaços ficam no escuro
Lugar que jaz afastado do jardim

Em misteriosos desencaixes vãos
Os desencontros de tantas partes
Em cada recorte há marcas de mãos
Que sonham sempre viver nas artes

Raramente inteiro na anatomia
Sem a brisa do vento espalhador
Num breve momento de calmaria

No quebra-cabeça de um montador
Que decide se  espalhar noutro dia
Para quem sabe montar o amor...

Nenhum comentário:

Postar um comentário