quarta-feira, 2 de março de 2011

Busque Amor novas artes, novo engenho

As artes, especialmente o teatro, são fontes de esperança, uma energia nova para quem pisa no palco e sabe dar valor ao espetáculo, depois de vencer os caminhos difíceis de quem faz teatro por amor.
Na caixa de Pandora só ficou a esperança, o princípio de uma nova força.
Minha homenagem a roteiristas, diretores, iluminadores, atores e atrizes que não desistem nunca e levam  alegria e cultura para o povo, num soneto de Luís Vaz de Camões:


Busque Amor novas artes, novo engenho
Para matar-me, e novas esquivanças,
Que não pode tirar-me as esperanças,
Que mal me tirará o que eu não tenho.


Olhai de que esperanças me mantenho!
Vede que perigosas seguranças!
Que não temo contrastes nem mudanças,
Andando em bravo mar, perdido o lenho.


Mas, enquanto não pode haver desgosto
Onde esperança falta, lá me esconde
Amor um mal, que mata e não se vê,


Que dias há que na alma me tem posto
Um não sei quê, que nasce não sei onde,
Vem não sei como e dói não sei porquê.

Um comentário:

  1. Juliaão!
    Preciso mais que versos para mostrar meu encanto...
    Pelos poemas,melodias ou sonetos.
    O que é belo deve ser apreciado e com modétia te conto,
    Estou expondo meus quadros, na Livros & Livros e com sua presença eu conto.
    Abraço afetuoso.

    ResponderExcluir