terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Poeta, dor e delícia de Ser

Quando, em vez de escrever obrigado, escrevo “obriagdo”, percebo que há “alugma” coisa errada.
Poderia ser dislexia ortográfica, aquela patologia da mente que, entre outros, desarticula ou troca letras. Mas, não é.
É apenas a combinação de ficar procurando o tempo de ser, digitando palavras, escrevendo com relâmpagos de ideias sob inspirações etílicas...


Procuro, nos dados do destino que me foram dados, um relógio que gire ao contrário, tipo máquina do tempo... Que voe raso e rápido, com riso e razão articulados.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário