quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O burrico vaidoso


Era uma vez uma olaria que era tocada por um burrico. Diariamente, o oleiro fabricava estátuas de santos   para vender na feirinha da praça aos finais de semana.
A mercadoria era rotineiramente entregue a um  transportador que levava o material até o local da  feira.
Num certo dia o transportador não apareceu e o oleiro, muito preocupado em bem atender seus fregueses e entregar as encomendas, resolveu transportar as estátuas no lombo do burrico.
Lá se foram o burrico e o oleiro pelas ruas, seguindo em direção da feira de artesanatos.
O burrico “pensou “ - eu  estava cansado de tocar o oleiro e sempre andar em volta do mesmo ponto. Finalmente estou passeando. Olhava alegre  para todos os lados.
Durante o trajeto, o burrico observou  pessoas que faziam reverências a ele. Algumas até faziam o “sinal da cruz”.
O burrico ficou cheio de orgulho, ensaiou poses para fotografia e se achou o tal.
Ao chegarem à feira, descarregaram as estátuas e o oleiro voltou com o burrico para a olaria.
O burrico pensou: - legal! Estamos fazendo  o caminho de volta e as pessoas vão novamente notar a minha presença. Mas, não foi assim. Ninguém mais olhou para o burrico, que indignado, parou, empacado na esquina, para chamar a atenção e ver se alguém o notava. E, só depois de algumas chibatadas que o burrico recomeçou a andar...




Nenhum comentário:

Postar um comentário