domingo, 3 de julho de 2011

Teatro - histórias e conselho para viver intensamente cada segundo como se fosse o último.


Enquanto o contador de histórias falava sobre a morte, houve um arrepio no palco. Carlos Castañeda, através do personagem Juan de Maltus, de um dos seus livros diz: "Devemos usar a morte como conselheira. Ela é a única que não nos dirá uma mentira. Seu mais sábio conselho: viver intensamente o momento presente enquanto ela não nos tocar, fazer de cada segundo a impecabilidade de vivê-lo intensamente como se fosse o último..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário